Mensagem do dia

Mensagem do dia

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Motoqueiro morre em acidente na Transamazônica chegando em Jacareacanga.

A rodovia Transamazônica, trecho Jacareacanga a Itaituba registrou hoje (23/07) mais um acidente com vítima fatal. Desta vez a vítima foi o motoqueiro José Francisco da Silva, aposentado, natural de Bezerro Pernambuco, mas morava na cidade de Guarujá, São Paulo.

O grupo com 4 motoqueiros denominados “Piratas do Asfalto”, saiu de Guarujá, São Paulo com destino a Humaitá, Amazonas. Mas há 60 km de Jacareacanga a vítima perdeu o controle da moto e saiu da estrada caindo num barranco. A suspeita é que houve fratura no pescoço.

O corpo da vítima foi encaminhado para o Hospital Municipal de Jacareacanga  onde aguarda a liberação da perícia para ser transladado para São Paulo.
Nonato Silva/Jacareacanga - (93)99214-5970

sábado, 18 de julho de 2015

CÂMARA DE JACAREACANGA EXIGE A SAÍDA DO DELEGADO DE POLICIA CIVIL

Diferente das inverdades proferidas pelo Delegado de Policia Civil Conrado Wolfring, onde na ocasião ao ser entrevistado por um dos repórter de nossa cidade, ele em um ato de desespero por já tê sido informado pelos seus superiores, acredito eu desse documento entregue em mãos por uma bancada de  DEZ VEREADORES de Jacareacanga  em uma viagem parlamentar até a capital do estado paraense, em busca de soluções para os problemas causados na ordem pública pelo atual delegado lotado em Jacareacanga.
Documento em mãos e assinados pelos vereadores entregue no dia 23 de junho de 2015,
Ou seja, a motivação da saída do delegado, deu-se através desse expediente na data acima supra citada, e que a manifestação do FORA DELEGADO, foi apenas a continuidade do descontentamento pela forma truculenta apresentada pela policia civil e principalmente do delegado titular.
 veja o teor do expediente:
Relação de nomes dos vereadores que foram cobrar do Secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, providencias urgentes na substituição do Delegado e do investigador da Policia Civil de Jacareacanga.
Para aqueles que afirmaram para populares que nada tinha contra a saída do atual delegado, aqui está a relação dos DEZ vereadores que foram a Belém, solicitar tal façanha, e ainda fotos que comprovam de fato e de direito a entrega do documento em mãos do presidente da Câmara municipal de Jacareacanga vereador Raimundo Acelio de Aguiar e mais outros NOVE vereadores, incluindo assessores.
Segue em anexo a foto dos parlamentares no exercícios de suas funções na capital do estado.
Momento da entrega do Ofício nº 157/2015 - GAB/PCMJ datado em 19 de junho de 2015 sendo entregues pelas mãos do presidente Raimundo Acélio de Aguiar, ao Secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social Dr. Jeannot Jansen da Silva Filho, na presença dos demais vereadores.

Os mesmos ouviram do secretário a afirmativa que seria adotadas as providencias e que seria aberto uma sindicância para elucidar os fatos por eles denunciados. 

Talvez seja por isso que o delegado, ao tomar conhecimento dos fatos retrucou a manifestação popular do FORA DELEGADO deflagrando afirmações difamatória e caluniadora aos participantes da mesma, fato esse recriminado por muitos pela forma irresponsável de alguém que vem para manter a ordem pública, utilizar a viatura policial para sua promoção pessoal na manifestação do FICA DELEGADO, a qual a sua maioria era crianças colocadas na caçamba das camionetes sobre o risco de caírem ou algo muito pior, pois ali segundo populares estavam apenas manifestantes e moradores da área recém invadida por populares a qual teve motivação politica.

FF - Somos favoráveis que essas pessoas residentes na invasão, fique somente as famílias que não tem casa própria, pois a maior parte são comerciantes, donos de propriedades, o que nos faz entender que eles não podem aumentar seus patrimônios se apropriando de um bem público sem que de fato nada seja feito pra se manter a ordem publica, uma vez que até a policia civil apoiou essa atitude. 

FONTE - Fotos e expedientes repassadas para o Blog por um dos vereadores que acompanhou a comitiva a Belém, segue também outros expedientes entregues nos demais setores do governo do Pará para sua avaliação da atuação dos DEZ parlamentares.
É só clicar em cima do expediente para ver o tamanho normal de cada um!

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Sem Fronteiras

Um blog de mensagens bíblicas direto do trono de Deus ao seu coração, acesse e deixe seu coração relaxar com os balsamos de Deus!
Acesse: www.ivanioalencarsemfronteiras.blogspot.com

Brasil será maior exportador de alimentos do mundo na próxima década, aponta ONU

Um relatório da Organização das Nações Unidas para  a Alimentação e a Agricultura (FAO) e da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), lançado nesta quarta-feira (15), aponta o Brasil como principal exportador de alimentos do mundo na próxima década.
De acordo com o documento, intitulado Perspectivas Agrícolas 2015-2024, a agricultura familiar será uma das principais ferramentas do País para garantir o crescimento da produção de alimentos com sustentabilidade.
As agências da ONU elogiam as políticas públicas do governo ao setor agrícola, com aumento do crédito, assistência técnica e desenvolvimento de pesquisas para o meio rural. Segundo o relatório, que apresenta um capítulo inédito sobre agropecuária, o País dobrou a produção agrícola e triplicou a pecuária desde 1990.
Agências da ONU elogiam em relatório as políticas públicas do governo federal para o setor agrícola“A agricultura familiar cumpre um papel fundamental na segurança alimentar e nutricional do nosso país”, apontou o ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, ao comentar o relatótio. “O arroz, o feijão, as carnes, as frutas e as verduras que vão para as mesas dos brasileiros têm muito a ver com a agricultura familiar”, disse.
Ananias observou que o Brasil deve consolidar seu papel produtivo no mercado externo e interno nos próximos dez anos. “Queremos investir na agregação de valor dos produtos, por meio das nossas agroindústrias; no cooperativismo, que é um importante instrumento de desenvolvimento dos produtores familiares e na comercialização”.
O relatório constatou ainda que as propriedades familiares representam mais de 80% das unidades de produção, com cerca de 12 milhões de pessoas atuando nas propriedades familiares.
Caminho certo
O diretor-geral da FAO, José Graziano, para quem o relatório confirma o “caminho certo” trilhado pelo Brasil nos últimos anos, afirma que o País deverá continuar fortalecendo a produção com foco na preservação ambiental.
“Esse crescimento deverá ocorrer de forma sustentável, uma vez que o Brasil já é referência em iniciativas desse tipo em todo mundo”.
 Saiba mais sobre o relatório conjunto da FAO e  da OCDE - Fonte: Ministério do Desenvolvimento Agrário e FAO
Reproduzido na integra pelo Blog, apenas a foto inicial é do arquivo do blog

terça-feira, 14 de julho de 2015

Aldeia Jacarezinho recebe apoio do governo NO CAMINHO CERTO

 Blog da SEMAI
Essa reforma foi para atender a reivindicação da aldeia para que houvesse um espaço para realizar sua reuniões comunitárias e que valorizasse as crianças com um espaço especifico para realizar suas atividades extra classe e outras atividades culturais, o barracão, foi revitalizado em madeira, piso de cimento queimado, todo rodeado de tela para ventilar o espaço e a mão de obra da própria comunidade como forma de contrapartida dos índios que exercem a função de carpinteiros, uma pratica utilizada e exercida por muitos Munduruku como forma de sobrevivência: para o cacique OSMARINO, esse trabalho contou com o apoio dos indígenas que não mediram esforços para realizar essa reforma e valorizar ainda mais nossa comunidade, o mesmo, e as demais lideranças agradeceram o apoio vindo da prefeitura através da secretaria de assuntos indígenas que foi responsável por essa iniciativa e empenho, agradeceu também as secretarias de Obras, Ação Social e principalmente a Educação que foram parceiras na realização desse trabalho de melhoria que obedece a cultura dos índios Munduruku. Nesse espaço será realizado exposição de artesanatos, reuniões e até mesmo se necessário for será colocado a disposição da escola da aldeia para funcionar como um anexo da escola já existente na aldeia na intenção de atender as crianças em sua atividades. Fonte ASCOM-PMJ- Fotos SEMAI - Reproduzido do Blog da SEMAI
PARABÉNS POVO MUNDURUKU.

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Jacareacanga: Movimento popular pede saída de Delegado da PC

Um grupo de manifestante que contou com a presença de comerciantes, moto taxistas e de vereadores fez uma carreata nos bairros da cidade de Jacareacanga na tarde dessa segunda-feira (06/07), pedindo a saída do Delegado de Polícia Civil Conrado Wolfring.
De acordo com alguns populares que não quiseram se identificar por medo de represálias, o Delegado Conrado Wolfring vem usando de truculência em suas abordagens. “Eu estava em uma festa quando o Delegado chegou determinando o fechamento da festa, como não foi atendido ele puxou a pistola e deus dois tiros para cima. Em seguida ele saiu com a viatura atropelando uma moto que estava estacionada próximo à calçada”, disse um morador.
Segundo denúncias feitas pelo vereador Raimundo Batista Santiago em plenário na Câmara de Vereadores, o Delegado Wolfring no começo deste ano sob a alegação de estar investigando tráfico de drogas, invadiu uma fazenda, inclusive estourando o cadeado da porteira à base de tiros, durante a investida do policial nada suspeito foi encontrado na propriedade rural, que fica no Estado do Amazonas, fora da jurisdição da Delegacia de Polícia Civil de Jacareacanga.
Ainda segundo o vereador Santiago, várias denúncias foram elencadas na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Legislativo contra os atos do Delegado Wolfring. Raimundo Batista Santiago fez parte de uma comitiva composta por 10 vereadores, que em junho deste ano numa audiência em Belém com o secretário de estado de segurança pública Jeannot Jansen da Silva Filho, entregou um expediente pedindo a substituição do Delegado.
Santiago disse que há cerca de 10 dias atrás Wolfring em perseguição a um jovem que havia se envolvido em um acidente de trânsito, disparou vários tiros nas ruas de Jacareacanga. No último domingo (05), à tarde na praia do pânico, local aonde acontece o Jacareverão, o Delegado fez vários disparos de arma de fogo assustando alguns banhistas que se encontravam naquele balneário.
Já o Delegado Conrado Wolfring, que foi nomeado em novembro de 2013 e há cerca de um ano é titular da delegacia de polícia civil de Jacareacanga, disse que o seu trabalho está incomodando muita gente. “Estou investigando casos de pedofilia e de tráfico de drogas. E isso incomoda algumas pessoas que tem muito dinheiro. Mas se o meu trabalho não está agradando ao povo e o povo pedir para mim sair, eu sairei”, disse Wolfring. Se referindo à manifestação popular o delegado acrescentou: “Neste pequeno grupo que pede a minha saída, tem pedófilos, traficantes e vagabundos”, disparou. Enquanto isso a carreata formada por pequenos comerciantes, vereadores e populares seguia o seu curso nas ruas de Jacareacanga.
Para o vereador Walter Tertulino as atitudes do Delegado Conrado Wolfring vem causando preocupação às lideranças indígenas e moradores da sede do município. “Por causa da falta de preparo policial, há 2 anos o Destacamento Policial Militar foi destruído por uma manifestação. Na ocasião vários guerreiros indígenas revoltados com os atos de policiais militares tocaram fogo no prédio”, lembrou Tertulino. 
Sobre o comentário do Delegado se referindo à manifestação popular Tertulino se diz surpreso. “Ele afirmou que entre os manifestantes existiam pedófilos e traficantes. Me surpreendo porquê de posse destas informações ele poderia ter prendido os traficantes e os pedófilos que estavam na manifestação popular”, observou o vereador.

Conrado Wolfring participa da manifestação do “Fica Delegado”

Na tarde desta terça-feira aconteceu mais uma manifestação em Jacareacanga envolvendo o Delegado de Polícia Civil Conrado Wolfring. A manifestação do “Fica Delegado” que aparentemente tinha uma dose conotação política surpreendeu pela presença da única viatura da polícia civil entre os veículos que faziam parte da carreata. O veículo da Secretaria de Segurança Pública do Estado conduzido por um investigador de Polícia Civil, acompanhado do Delegado, transportava crianças que empunhavam cartazes de manifestação de apoio ao Delegado Wolfring. Fonte: Texto e Fotos, Nonato Silva

FF - De fato está mais que provado senhor delegado, que em sua guarnição não existe respeito e profissionalismo, pois ao bradar que na manifestação do FORA DELEGADO, tinha pedófilos, traficantes e vagabundos, fica mais uma vez provado que sua posição de delegado é nociva para os cidadãos dessa cidade,  como delegado não tem compromisso e moral pra atacar cidadãos de bem que usando de seus direitos manifestaram descontentamento pelos serviços improdutivos praticados pelo delegado. 
Eu participei DELEGADO dessa manifestação com minha esposa ao meu lado em meu carro, só quero dizer delegado que tenho 45 anos e não sou vagabundo pois eu trabalho e sou secretário municipal, não sou traficante e nem faço uso de entorpecentes, e não sou pedófilo, mas já que o delegado é ciente dessas acusações, iremos nos encontrar na justiça, pois suas palavras injuriosas só acrescentam ao seu curriculum, INCOMPETÊNCIA e DESPREPARO.

sábado, 4 de julho de 2015

Copa America 2015 Não tem para os Hermanos é Chi chi chi le le le CHILE CAMPEÃO

 SELEÇÃO CHILENA 
 Pela primeira vez capeã da Copa America 
 Copa America 2015  
  Decisão nos Pênaltis  
 CHILE - OOOO GOLs   X  ARGENTINA - OXX  GOLs 
 CHILE CAMPEÃO DA COPA AMERICA 2015 
 Merecidamente o MELHOR 

Ecologicamente correto

UMA BOA IDEIA

quarta-feira, 24 de junho de 2015

A história da poeta indígena Márcia Wayna Kambeba

Com certeza você já ouviu falar de Márcia Wayna Kambeba do povo omágua/kambeba, mestra em geografia, escreve poemas, canta, recita e sempre conta para as pessoas a história de seu povo, aqui vamos falar um pouco sobre sua vida, sua trajetória, e sua luta junto aos povos indígenas.
Foto: Márcia Kambeba
     Márcia vieira da silva artisticamente conhecida por Márcia Wayna Kambeba, nascida em 1979 no alto Solimões (Amazonas), em uma aldeia chamada Belém do Solimões pertencente ao povo ticuna, convivendo com o povo ticuna até aos 8 anos de idade ela e sua família deixaram a aldeia por motivos de saúde e foram em busca de melhorias. Márcia conta que na época as casas eram feitas de palha e as ruas não eram asfaltadas, ela guarda na lembrança as histórias contadas pelos mais velhos, os contos e as danças.
  Saindo de Belém do Solimões, Márcia foi morar em são Paulo de Olivença que antes foi a maior aldeia do seu povo de origem os kambeba, sua avó era poeta, dentro da possibilidade dela produzia versos e Márcia com 8 anos de idade cantava, fazia discursos quando apareciam autoridades em sua cidade, nascia ai a paixão pela poesia e também pela música.
   “Como toda criança estudei o ensino fundamental e médio, com 12 anos de idade fiz minha primeira poesia também fiz composições, músicas para mim mesma nada ainda para o público, com 14 anos eu já comecei a trabalhar em rádio, como radialista fiz o programa chamado “18: horas, hora da prece”, pois sou católica e na época não existia rádio eu fazia com o módulo de bocas de ferro, depois chegou na minha cidade uma rádio,uma fm comunitária comecei a fazer programas de entrevistas com personalidades da cidade, políticos, vereadores e visitantes de fora, era um programa informativo onde também tocava músicas era chamado “entre amigos”, fiquei 10 anos na rádio foi o que me ajudou a educar a minha voz e poder usa-la dentro do que eu quero que hoje é trabalhar com poesia, na época eu cantava e fazia shows com amigos em barzinhos, aos 15 anos eu comecei a roteirizar e a fazer peças de teatro, pois na escola onde comecei a me alfabetizar trabalhava na gente a paixão pelo teatro, atualmente eu roteirizo peças de teatro e também trabalho atuando nas peças e também em filmes.” Conta Márcia 
   Saindo de São Paulo de Olivença, Márcia foi morar em tabatinga (Amazonas), onde iniciou sua faculdade estudou geografia e começou a lutar pela valorização da cultura indígena, desde dos 12 anos de idade ela já compreendia a importância de mostrar para o outro a real cara dos povos indígenas que não é mais de esta em aldeias e muito menos de falar errado.
   “Os povos indígenas são educados, se expressam bem, falam bem e se muitas vezes trocam uma palavra por outra não é porque são ignorantes ou desconhecedores dessa realidade, tem indígenas que já rodaram o mundo se hospedaram em hotéis de luxo mas continuam mantendo a simplicidade de ser quem são, sem perder a sua identidade mantendo sempre o pé no chão, eu ando em outros estados e tenho essa convicção que outros parentes (nós indígenas nos tratamos assim como parentes), então nós buscamos informação na escola do branco justamente pra isso, pra poder informar e fazer a pessoa conhecedora de que nós não somos esses desconhecedores de cultura, nós temos um saber que nem toda escola pode fornecer a todo mundo” Declarou Márcia.
    Em tabatinga terminou a sua graduação, as dificuldades enfrentadas ao longo da faculdade foram que na sua época não tinha cota, ela realizou a prova normalmente concorreu a nível de estado e foi a primeira aluna da UEA (Universidade do Estado do Amazonas). Ela lembra que não tomava café e muito menos almoçava, apenas jantava pois economizava o dinheiro para comprar apostilas obrigatórias para seu estudo, imediatamente Márcia teve a ideia de voltar com o seu trabalho em rádio e saiu oferecendo o seu trabalho nas emissoras, nas rádios da Colômbia, Peru e Brasil, pois ela estava em um município que faz fronteira com Peru e Colômbia chamado “tabatinga”, em pouco tempo Márcia foi aceita em uma rádio onde começou a trabalhar como radialista, sua paixão também é pela famosa rádio, só que atualmente como o seu trabalho exige que ela faça viagens, isso impedi que ela possa trabalhar fixamente em um só lugar com a profissão de radialista. Em Manaus a mesma foi em busca de seu mestrado, chegando lá fez especialização em Educação ambiental em uma faculdade particular, logo em seguida foi tentar o mestrado na UFAM (Universidade Federal do Amazonas), conquistou o segundo lugar, ganhou uma bolsa de estudo e essa bolsa foi o suficiente para ela desenvolver sua pesquisa com o seu povo os kambeba em uma aldeia localizada á 40 km distante de Manaus, o trabalho foi super gratificante onde rendeu uma pesquisa ótima e uma defesa excelente com o privilégio de ter ganhado 10 pontos de cada professor na banca de defesa, classificando assim a pesquisa não como um trabalho mas sim como um documento.
   “A importância da universidade na vida do indígena é essa no registro para com sua memória na contribuição que nós damos ao nosso povo em voltar ao nosso lugar de origem levando informações, conhecimento e contribuindo também para que esse povo continue caminhando lutando, fortalecendo a sua cultura dentro do que nós chamamos de conhecimento ancestral e cultura material e imaterial” disse Márcia.
    De Manaus Márcia veio morar em Belém do Pará onde casou e teve um livro escrito aqui em Belém o “AY KAKYRI TAMA”  esse livro tem o objetivo de informar como os povos indígenas vivem, como estão os povos indígenas hoje em dia, citando as suas aldeias se fazem uso das tecnologias, ressaltando a preocupação dos povos com a natureza  onde sempre cuidam para que o outro possa usufruir. Os povos indígenas não gostam de ser chamados de índios, pois eles dizem que essa palavra carrega negatividade e realmente como vemos hoje em dia a palavra “índio” gera um certo preconceito então fica a dica “cada povo tem seu nome”, essa palavra “índio”  não os pertencem chamamos de povo, povo como kambeba, ticuna e por ai vai.
Vejamos uma poesia de Márcia com relação a esse assunto: 
   “Não me chame de índio porque esse nome nunca me pertenceu, nem como apelido quero levar o erro que Cabral cometeu, por um erro de rota senhor Cabral em meu solo desembarcou e com desejo de nas índias chegar com o nome de índio me apelidou esse nome me traz muita dor uma bala em meu peito transpassou, meu grito na mata ecoou meu sangue a terra jorrou”.    
   A história de Márcia Wayna Kambeba é uma história de muita luta aqui contamos um pouco da vida dessa indígena que tanto batalhou e ainda batalha pelo seu povo, ganhou meu respeito e minha admiração, parabéns à todos os povos indígenas que lutam para conquistar cada vez mais seu espaço.
Confira agora uma mensagem deixada por Márcia:    
   “Quero agradecer todo o carinho que recebo em Belém do Pará onde fui muito bem recebida pelo mundo poético daqui, pelos artistas e parceiros Ivan Cardoso, Joelma Claudia, Aline Queiroz entre outros. Está em Belém é um prazer muito grande, meu trabalho expandiu alcançou novos horizontes se encontra até fora do Brasil graças a deus, e eu tenho prazer de ter dentro dos meus amigos compositores, parceiros de composição, Edu Toledo do Rio de Janeiro (pianista, compositor, ator), futuramente vou está lançando meu CD com a produção do Edu, Agradeço ao Robertinho silva (baterista), Laila Rosa na Bahia ( violinista compositora e cantora) entre outros. Hoje tenho uma alegria imensa do meu trabalho ter alcançado o mundo artístico dessa forma e está sendo muito bem aceito e onde eu vou eu levo o carinho desse povo paraense, digo que sou do Amazonas mas meu coração é Paraense levando o Pará no meu peito, procuro representar o Pará e o Amazonas fiz uma homenagem para Belém do Pará com um poema chamado “ Belém indígena, Belém cabocla” é uma forma de dizer obrigada Belém, obrigada Pará por esse carinho  e contribuição na arte que eu represento da cultura indígena, obrigada a todos os povos indígenas que compõem a região do Pará".
EM BREVE:
As músicas de Márcia e seu parceiro Edu Toledo estarão em um filme chamado “Os Breves” gravado em Breves e que fala do encontro do indígena com o branco em uma situação de dor e luta.  Texto: Liliane Marques.
Connect Pará

Pela FÉ

Pela FÉ

De ponta a ponta ligado com o Mundo!

De ponta a ponta ligado com o Mundo!
FORUM PERMANENTE DE DEBATES Eis minha intenção em criar este espaço; as matérias que forem publicadas no FARO FINO, se produzirem comentários serão respondidas respeitando a opinião dos leitores. Todos os comentários devidamente assinados serão considerados e publicados, desde que não exponha a moralidade de pessoas. Evidentemente que comentários imorais ou que visem ridicularizar, humilhar pessoas também serão descartados.

Muitas vezes por sermos homens de projeção publica, posamos de vidraças, e as pedras dos insensatos, de longe são atiradas, mesmo não querendo o FARO FINO para essa finalidade, também posso ser pedra de estilingue, ou até a funda que Davi usou para tirar de orbita o gigante Golias.