sexta-feira, 15 de janeiro de 2021

AÇÃO POPULAR BUSCA MINIMIZAR IMPACTOS AMBIENTAIS NEGATIVOS EM TERRAS E RESERVAS INDÍGENAS

Está tramitando perante a 3ª Vara Cível da Justiça Federal do Distrito Federal, os autos da Ação Popular nº 1001295-402021.4.01.3400, promovida contra a União Federal, Fundação Nacional do Índio - FUNAI, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – IBAMA, Instituto Chico Mendes da Biodiversidade – ICMBio e Agência Nacional de Mineração – ANM, que têm por finalidade a decretação de nulidades de atos administrativos lesivos ao meio ambiente 

A sobredita ação popular, cuja peça exordial contém 109 (cento e nove) páginas e 145 (cento e quarenta e cinco) documentos, aforam outros que serão juntados no curso da ação, é de autoria do signatário do presente artigo e está aguardando exame das medidas liminares pleiteadas.

Na ação está sendo exposto que há 11 (onze) décadas os povos indígenas do Brasil têm sido alvos dos mais diversos tipos de perseguições, inclusive dos próprios órgãos do Governo Brasileiro, que, ao invés de desenvolver uma política de proteção aos Índios, submetendo-os, inclusive a mortes e perseguições, por habitarem as ricas terras do território brasileiro.

Através do Decreto nº 8.072, de 20 de junho de 1910, o Governo Brasileiro criou o Serviço de Proteção aos Índios e Localização de Trabalhadores Nacionais (SPILTN), parte constituinte do então Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio –MAIC.

O antigo Serviço de Proteção ao Índio – SPI, sucedido pela FUNAI, na década de 60, quando todos os seus Postos de Serviços eram ocupados por Miliares, os Índios foram submetidos aos mais hediondos tipos de crimes, que iam desde trabalhos escravos e até genocídios. Desviavam suas riquezas, arrendavam suas terras, vendiam seus gados, promoviam derrubadas de madeiras de suas terras e as vendias, vendiam crianças indígenas e os obrigaram a se mudarem de suas reservas como forma de subtrair suas riquezas. 

Na década de 60, no Estado de Mato Grosso e então Território Federal de Rondônia os povos indígenas mais massacrados foram os Cintas-Largas e os Pacaás Novos. No Estado do Pará os Mundurukus eram perseguidos para sempre estarem mudando de território, assim como os Xavantes e outras etnias indígenas que habitavam o Centro Oeste e Norte do Brasil. 

Foi para apurar ilícitos praticados contra os indígenas que a pedido do então Ministro do Interior, através da Portaria nº 239/67, foi instituída Comissão de Inquérito – CI, cuja foi instalada em data de 3 de novembro de 1967, tendo como membros JADER DE FIGUEIREDO CORREIA, Técnico em Administração, o qual foi Presidente da Comissão; FRANCISCO DE PAULA PESSOA – Técnico de Contabilidade e UDMAR VIEIRA LIMA, ambos Vogais. 

Após diligências e obtenções de centenas de documentos, os membros da citada CI, elaboraram Relatório final, denominado “Relatório Figueiredo”, concluído em 1967, com os documentos supostamente perdidos. Durante décadas, acreditou-se que o relatório tivesse sido destruído por um incêndio no Ministério da Agricultura em junho de 1967, mas ele foi redescoberto em agosto de 2012, pelo pesquisador Marcelo Zelic no Museu do Índio, no Rio de Janeiro, do qual se extrai os seguintes textos.

Em relação aos povos indígenas Cintas-Largas, encontrou-se o seguinte texto, no citado Relatório que possui 68 (sessenta e oito) páginas:

 

Em decorrência desse massacre, o povo Cinta-Larga foi reduzido em 90% (noventa por cento), quase os levando a extinção, tudo em razão da cobiça desenfreada, o que perdura até os dias atuais, com as invasões sucessivas de sua Reserva Indígena, para extração de minérios, com a conivência dos entes públicos federais.

Através da Lei nº 6.683, sancionada pelo então Presidente João Batista Figueiredo em 28 de agosto de 1979, após uma ampla mobilização social, ainda durante a ditadura militar, os envolvidos nas praticas dos crimes hediondos e genocidas contra os povos indígenas foram anistiados, mas as responsabilidades civis da União Federal, não.

As autorizações de pesquisas de mineração eram sempre expedidas sem qualquer amparo legal, tinham por objeto a exploração mineral nas terras e reservar indígenas, como forma de promover as invasões ilegais de seus territórios e forçar as mudanças de indígenas para outros locais.

Com a com a extinção do SPI 1967, adveio a FUNAI, que igualmente não desempenha sua verdadeira missão de proteção aos povos indígenas, quando permite que o Departamento Nacional de Pesquisa Mineral- DNPM, sucedido pela Agência Nacional de Mineração – ANM, autorizasse ao longo de décadas e continue autorizando, através de Alvarás de pesquisas minerais e até de lavra em Terras e Reservas Indígenas, quando essa competência, conforme o Parágrafo terceiro, do Art. 231, da Constituição Federal de 1988, é do Congresso Nacional, inclusive as autorizações para os aproveitamentos hídricos.  

Os danos ambientais causados pela ação garimpeira clandestina nas Terras e Reservas Indígenas igualmente integram os fatos descritos na Ação Popular, que pede sejam indisponibilizadas para efeitos de mineração, que não seja pelos próprios Índios, cabendo ao Poder Público o dever de recuperar as áreas degradadas, já que incentivou a mineração clandestina quando permitiu através de autorizações de pesquisas e lavras, as invasões ilegais dessas áreas.  

Na Ação é noticiado ainda que com a retomada das construções de Hidrelétricas na primeira década do Século XXI, outros grandes impactos negativos ao meio ambiente, especialmente nas Terras e Reservas Indígenas, no Centro Oeste e Amazônia legal, foram levados e efeitos diante das centenas de quilômetros quadrados para formações de Reservatórios; dos Barramentos que impedem a reprodução natural de alevinos, além da grande mortandade de toneladas de Peixes, diante da baixa oxigenação das águas, provocada pelo acumulo de sedimentos ao longo dos Rios que foram represados.

O que chama à atenção nos novos empreendimentos hidrelétricos é a participação da iniciativa privada, com largo capital estrangeiro e os descumprimentos dos Contatos de Concessões de Uso de Bem público dos Contratos de Construções das Hidrelétricas, como assim foi noticiado na Ação Popular. 

Mas na ação é exposto ainda o quanto o agronegócio, com uso indiscriminado de Agrotóxicos, vêm causando sérios impactos ambientais no Cerrado brasileiro e Amazônia Legal, contaminando o subsolo, onde há vastas áreas de terras plainas, propicias para as produções, em larga escala de grãos, muitas delas circunvizinhas e até tendo das Terras ou Reservas Indígenas. 

Apesar de na Ação Popular conter pedidos para concessão de 9 (nove) atos liminarmente, a mesma não retira os direitos dos povos indígenas, de, individualmente, ou através de suas Associações de Classe e representativas, pleiteiem os direitos que eles são assegurados, inclusive as justas indenizações por danos morais e materiais decorrentes da ineficiente atuação dos entes públicos em defesa de seus direitos. 

É certo que as atividades produtivas do Brasil não podem paralisar, em detrimento de toda uma população, em razão dos prejuízos causados aos povos indígenas, ao meio ambiente e ao próprio povo brasileiro, como também não podem ser levadas a efeitos em descumprimento às normas vigentes, especialmente as que se referem à proteção ao meio ambiente, para uso sustentável das riquezas naturais. Mas são as atividades Garimpeiras; as construções de Hidrelétricas e do Agronegócio que mais impactam o meio ambiente negativamente, o que requer  a intervenção do Poder Judiciário diante da conivência e inercia dos Poderes Executivos e Legislativo. POR: DOMINGOS BORGES DA SILVA

quarta-feira, 13 de janeiro de 2021

RAULIEN QUEIROZ UM ANO SEM O CACIQUE


Hoje 13 de janeiro, completou um ano sem Raulien Queiroz, e até hoje Jacareacanga sente a perda do cacique, um amigo, um parceiro e um grande homem. 

Um dia para não ser lembrado, em um trágico acidente envolvendo três grandes amigos  Odair Veríssimo motorista da caçamba, Vena e Raulien Queiroz na tarde do dia 13 no km 50 da transamazônica,  ponte que destruiu os sonhos dos amigos deixando em pedaços os corações dos familiares das vitimas.

Amigos e parentes não se despediram de Raulien deram apenas um até breve!

Lembrar de Raulien, é ter a certeza da grande ausência que ele nos faz, para ele todos se chamava boca de galo, porém ele tratava sempre com respeito seus adversários políticos por entender que a verdadeira democracia se constrói com atitudes de homens e mulheres que lutam no campo das ideias para consolidar seus propósitos lembrando sempre que o maior aliado é o povo!

Ao passar na ponte onde causou três mortes de homens trabalhadores, e ver as cruzes, nos faz lembrar que estamos nesse mundo apenas de passagem, nesse dia perdemos três pais de família que saíram de suas casas para realizar seus trabalhos e que infelizmente jamais retornarão para os braços de seus familiares.

A perda de um ente querido é a prova mais dolorosa que o Espírito enfrenta em sua breve passagem pela Terra. Como entender um fato que parece fechar todas as portas à esperança? Conviver sem a presença física de quem tanto estimamos?

Controlar a saudade dos mínimos gestos? Saudade essa que ao contrário do que dizem, parece aumentar com o tempo.

Como suportar a voz que se calou trazendo um terrível silêncio? E o que fazer para conter as lágrimas diante das fotografias de um passado que não retorna?

Manter a confiança torna-se tarefa complicada quando o futuro nos parece tão incerto. Sim, será Jesus que segurará nossas mãos nesse momento tão complicado, que com sua infinita bondade, enxugará nossas lágrimas, permitindo que nossos olhos enxerguem outros horizontes.

Amigo é coisa pra se guardar
Debaixo de sete chaves
Dentro do coração
Assim falava a canção que na América ouvi
Mas quem cantava chorou
Ao ver o seu amigo partir
Mas quem ficou, no pensamento voou
Com seu canto que o outro lembrou
E quem voou, no pensamento ficou
Com a lembrança que o outro cantou
Amigo é coisa para se guardar
No lado esquerdo do peito
Mesmo que o tempo e a distância digam "não"
Mesmo esquecendo a canção
O que importa é ouvir
A voz que vem do coração
Pois seja o que vier 
Venha o que vier 
Qualquer dia, amigo, eu volto
A te encontrar
Qualquer dia, amigo, a gente vai se encontrar
MILTON NASCIMENTO - Canção da América

terça-feira, 12 de janeiro de 2021

Policiais Militares mantém a ordem em Jacareacanga

A guarnição policial de Jacareacanga, vem realizando vários serviços ao combate e prevenção do trafico de drogas, furtos e roubos.

Hoje a cidade de JACAREACANGA completa 04 meses e 12 dias sem nenhum homicídio registrado neste município.

Marco Record, pois de janeiro a agosto de 2020 foram registrados vários homicídios, deixando esta cidade em primeiro lugar do Pará no ranking de homicídios por quantidade populacional.

Porém, hoje comemoramos esta vitória, pois há muito tempo não tínhamos um resultado tão satisfatório de 132 dias sem nenhuma morte registrada.

Contamos com o apoio de todos para colaborar com as ações da Polícia, e sempre procurar melhoras em todos os ditames para prestar, cada vez mais, um serviço de qualidade a população.  Att Ten Scalabrin



terça-feira, 29 de dezembro de 2020

Brasil registra 1.111 mortes de Covid nas últimas 24 horas, maior marca desde 15/9

Autoridades de saúde registraram, nas últimas 24 horas, 1.111 novas mortes e 58.718 novos casos de covid-19 no Brasil. A última vez que o país havia batido os mil óbitos diários foi no dia 17 deste mês, com 1.092 mortes. Esse é o maior número desde o dia 15 de setembro, quando o país registrou 1.113 vítimas fatais em decorrência da doença.

As informações foram divulgadas pelo Ministério da Saúde nesta terça-feira (29), com atualização até às 16h30. O balanço reúne dados levantados pelas secretarias estaduais de saúde.

Com as novas mortes acrescidas às estatísticas, o total de óbitos em função da pandemia sobe para 192.681. Ontem (28), o sistema do Ministério da Saúde marcava 191.750 óbitos. Ainda há 2.508 falecimentos em investigação. 

A soma de casos acumulados chegou a 7.563.551 com os novos diagnósticos registrados nas últimas 24 horas. Até ontem, o painel de dados trazia 7.504.833 pessoas infectadas desde o início da pandemia.

Os dados do ministério apontam também 723.332 casos ativos em acompanhamento por profissionais de saúde e 6.647.538 pessoas que já se recuperaram da doença. 

Em geral, os registros de casos e mortes são menores aos domingos e segundas-feiras em razão da dificuldade de alimentação dos dados pelas secretarias de saúde aos fins de semana. Já às terças-feiras, os totais tendem a ser maiores pelo acúmulo das informações de fim de semana que são enviadas ao ministério. Reproduzido na integra: ISTOÉ - Agência Brasil

quinta-feira, 24 de dezembro de 2020

24 DE DEZEMBRO


 

POLICIAS MILITARES DE JACAREACANGA MANTENDO A ORDEM NA CIDADE


Durante todo mês, e dia após dia, os policiais militares vem fazendo um trabalho em parceria com a policia Civil no combate as Drogas e tirando de circulação os envolvidos nessa pratica do crime, pois a cidade tem ficado refém do trafico e a policia não tem relaxado para coibir essa ideia dos traficantes de tornar Jacareacanga um corredor de trafico como base de apoio aos seus interesses de expandir essa rota do mal.

Durante as semanas que se passaram, a policia militar que hoje com sua guarnição, vem presando pelo bom combate e tirando o sossego dos traficantes e trazendo paz para toda população.

A briosa Policia Militar, mostra para quê veio a Jacareacanga, a mesma tem incomodado muitas pessoas que antes viviam na pratica dos erros sem que ninguém os atrapalhassem, hoje essas pessoas, se esbarram com essa guarnição que combate de frente e mostra que a cidade tem autoridades policiais que presam pela respeito as famílias e o desprezo ao traficantes tirando cada um de sua rota do mal para ser um hospede do presidio em Itaituba!

Parabéns policiais militares pelo trabalho, fazendo jus a farda a população agradece  pela ordem e coragem de cada policial militar e civil. 

POLÍCIA MILITAR DO PARÁ - C P R  X

15° BPM - BATALHÃO TRANSAMAZÔNICA

72° PEL. JACAREACANGA 

                         *PM PA SERVIR E PROTEGER*

terça-feira, 22 de dezembro de 2020

Uma estrada de 250 km sobre o mar na Flórida

Quem gosta de carro ama dirigir, claro, mas se a estrada for em cenário paradisíaco, o prazer é ainda maior. E entre as mais belas do mundo, uma das mais citadas é a Overseas Highway (US-1), que liga Miami a ponta extrema sul dos EUA, Key West, também no litoral da Flórida.

São pouco mais de 250 quilômetros com paisagens incríveis sobre o mar, como o próprio nome da estrada em inglês sugere, sobretudo nos últimos 150 quilômetros 

Há quem faça bate-e-volta no mesmo dia só pelo prazer de dirigir com a sensação de estar “guiando sobre a água do mar”, por uma sequência incrível de longos viadutos até chegar a Key West. 

Os “keys” são as “pequenas ilhas” que permitiram esta interessante obra de engenharia, já que o mais longo dos viadutos tem 7 milhas (e tem o criativo nome de “Seven Mile Bridge”, com pouco mais de 11 quilômetros). 

Key West é considerada a cidade mais cubana da Flórida (são apenas 150 km de distância até a ilha, mas aí não há estradas claro). Não por acaso, é a cidade de Ernest Hemingway, prêmio Nobel da Literatura em 1954, autor do clássico "O Velho e o Mar".  

Ao contrário de uma viagem para a Alemanha, por exemplo, onde a alta velocidade é um importante atrativo, atingindo até 250 km/h nos trechos sem limite das Autobahs (LINK MATERIA ALEMANHA), nesta parte da Flórida a ideia é outra.  

Os limites são baixos, entre 50 e 60 milhas por hora (de 80 a 100 km/h), plenamente justificáveis já que a maior parte da estrada é composta apenas uma pista em cada sentido (e, convenhamos, um viaduto em cima do mar não comportaria velocidades muito altas, já que a "área de escape" são as águas oceânicas). 

E você vai querer ir o mais devagar possível, para poder apreciar o cenário digno de filme hollywodiano.

E, no melhor estilo "american way of life", tudo aqui é muito prático: há dezenas de áreas de recuo ao longo da estrada, que permitem paradas estratégicas para tirar fotos, apreciar de perto a paisagem, pescar e até mesmo dar um mergulho em uma das praias ao longo do caminho. 

Fique apenas atento que, ao contrário de algumas estradas brasileiras, não é só parar o carro no acostamento na parte onde você achou mais bonito e tirar fotos. Existem áreas específicas para isso e o estacionamento deve ser feito somente ali - a patrulha nas rodovias norte-americanas é constante. 

Se tiver que escolher uma única parada no trajeto Miami e Key West, escolha Bahia Honda Park. Localizá-la será bem fácil: é logo depois da maior das pontes entre as ilhas, com o autoexplicativo nome de 7 Mile Bridge (a ponte de 7 milhas, quase uma Rio-Niterói).  

O grande diferencial deste parque estadual é que, em meio as águas claras dignas do mar do Caribe, você ainda encontra aquela praia com longas faixas de areia bem branca - algo que não se vê em todos os "keys".

De lá, também é possível fazer passeios para outras praias igualmente paradisíacas e também para outras atrações naturais desta região, como os manguezais. 

Com tantas opções, talvez Hemingway escrevesse hoje que dirigir no Sul da Flórida é uma festa – assim como ele definiu Paris em outro livro. 

sábado, 19 de dezembro de 2020

PREFEITO, VICE EVEREADORES SLEITOS DM JACAREACANGA SAO DIPLOMADOS

Aconteceu na manhã desta sexta-feira, dia 18, a diplomação dos eleitos no último dia 15 de novembro: Prefeito, vice-prefeito e 11 vereadores, no município de Jacareacanga, nPará.

Valdo do Posto, do PSDB, foi eleito Prefeito, obtendo 5305 votos, tendo como vice Valmar Kaba, do Republicanos.

Os dois disputaram a eleição pela coligação “Juntos Vamos Mudar, Para Melhorar”, formada pelos partidos REPUBLICANOS, PDT, PT, MDB e PSDB.

Atendendo determinação da Organização Mundial de Saúde, a diplomação em Jacareacanga foi de maneira virtual, através de Vídeo Conferência.

Diplomação dos vereadores Rui, Isaías e Xavier, acompanhados pelo empresário Juliberto

VEREADORES QUE FORAM DIPLOMADOS:

Giovani Kabá (MDB)

Professor Isaias Kirixi (MDB)

Aleandro Karo (MDB)

Everton Araújo (PSC)

Raineri (PSC)

Edivaldo Rola (PSC)

Xavier (PSDB)

Ivair Karikafu (PSDB)

Antonio Goiano (PSD)

Rui Baima (PDT)

Gersinho (Republicanos)

domingo, 13 de dezembro de 2020

Saudades eternas de Raulien Queiroz

Raulien compartilhou mais de 30 anos de sua história com o indigenismo, principalmente junto ao povo Munduruku e o povo de Jacareacanga.
A destacada competência de Raulien o levou sempre a ocupar a posição de liderança. 
Seu comprometimento com a questão indígena foi mantido por toda vida, mesmo quando se afastou do cargo para exercer mandato como prefeito de Jacareacanga durante oito anos, apoiou sobremaneira a unidade da Funai naquela cidade.

SAUDADES ETERNAS DO AMIGO!

quinta-feira, 10 de dezembro de 2020

Brasil inicia produção da vacina contra Covid-19 nesta quinta (10)


O Instituto Butantan já deu início à produção da CoronaVac, vacina contra o novo coronavírus (covid-19), ainda em fase de testes, produzida pelo instituto em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac. Segundo o governador de São Paulo, João Doria, a produção da vacina foi iniciada ontem (9).

A produção será feita em turno sucessivo, 24 horas por dia, sete dias por semana, informou o governador. A intenção do governo de São Paulo é alcançar a capacidade máxima de até um milhão de doses fabricadas por dia. Até outubro, a unidade funcionava de segunda-feira a sexta-feira, em dois turnos.

A capacidade de envase diário planejado para a vacina no Butantan é entre 600 mil a um milhão de doses. O primeiro lote terá aproximadamente 300 mil doses. Até janeiro, o governo paulista prevê que 40 milhões de doses da vacina serão produzidas.

A fábrica do Butantan ocupa área produtiva de 1.880 metros quadrados e conta atualmente com 245 profissionais. Segundo o governo paulista, mais 120  funcionários serão contratados para reforçar a produção da vacina contra o coronavírus.

A vacina

O governo paulista, por meio do Instituto Butantan, tem uma parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac para a vacina CoronaVac. Por meio desse acordo, o governo paulista já vem recebendo doses da vacina. O acordo também prevê transferência de tecnologia para o Butantan.

Estudos de fases 1 e 2 da vacina, realizados na China, já demonstraram que ela é segura, ou seja, que não provoca efeitos colaterais graves. Também estudo feito com voluntários no Brasil comprovou que a vacina é segura.

A vacina, no entanto, ainda está passando por uma terceira e última fase de testes, que vai revelar se é eficaz, ou seja, se de fato protege contra o novo coronavírus. Esses testes já vêm sendo desenvolvidos no Brasil desde julho deste ano e, para que seus primeiros resultados sejam divulgados, foi necessário que um mínimo de 61 participantes voluntários do teste fossem contaminados pelo novo coronavírus. Isso porque metade dos voluntários recebeu placebo e, a outra metade, a vacina. Para saber se a vacina é eficaz, espera-se que a maior parte dos infectados pelo vírus estejam entre as pessoas que receberam o placebo.

Esse número mínimo de voluntários contaminados nos testes foi atingido em novembro e permitiu o início da análise da eficácia da vacina. O resultado foi encaminhado para um comitê internacional independente, e a expectativa do governo paulista é que seu resultado seja divulgado ao público já na próxima semana. 

Se essa análise constatar que a vacina é, de fato, eficaz, o governo paulista deverá solicitar a aprovação e registro junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que então permitirá o uso em solo brasileiro.

O governo de São Paulo já recebeu da Sinovac 120 mil doses prontas para uso da vacina e um milhão de doses que serão envasadas pelo Instituto Butantan. Pelo termo de compromisso assinado no final de setembro com a Sinovac, o Butantan vai receber 46 milhões de doses da CoronaVac, sendo que 6 milhões de doses já chegarão prontas.

O governador de São Paulo, João Doria, disse que 11 estados e 912 municípios já manifestaram interesse em adquirir doses da vacina.

Fonte: Agência Brasil

Por: Ana Gamboa

JACAREACANGA, A COVID-19 ESTÁ ENTRE NÓS!

 

A Saúde em Jacareacanga vive momentos difíceis, pois nenhum boletim é emitido pela coordenação do hospital sobre a Covide-19, até o presente momento não se sabe de fato quantos casos da doença temos em nossa cidade.

A população vive como se não houvesse a Covid-19 e as autoridades finge que tudo está bem e que nada tem que ser feito para se prevenir contra essa doença, o comércio local não exige mais o cliente de mascara, as filas de bando continuam com aglomerações sem que seja obedecido o distanciamento, festas em clubes sem nenhuma fiscalização da saúde, o hospital em reforma a vários meses e os usuários aglomerados na espera de serem atendidos pelos médicos de plantão, isso parece ser normal!

Pessoas adoecendo e ficando em casa fazendo seu tratamento  por medo de irem ao hospital, tendo em vista que o silencio incomoda e deixa a sociedade apreensiva sobre a realidade de fato dessa doença.

Nenhum profissional da saúde emite uma nota técnica informando a quantidade de casos em Jacareacanga, e se caso isso esteja acontecendo, a população não está sabendo, pois o silencio no hospital ainda parece ser a melhor resposta de prevenção da doença!

O último boletim emitido foi dia 27 de maio publicado neste blog para informar a população, depois não houve nenhum outro e se houve acredito não terem sido divulgado pela equipe responsável.
Muitos Óbito surgiram e muitos doentes apareceram
Até quando prevalecerá a frente a incompetência daqueles que se calam por achar que o silencio é o melhor remédio?

Onde anda o representante do Ministério Publico que há meses não se faz presente nessa cidade?

JACAREACANGA, A COVID-19 ESTÁ ENTRE NÓS!

terça-feira, 8 de dezembro de 2020

Jacareacanga uma cidade tão tão distante!

Onde está aquele povo barulhento que andava sem tocar a sola dos sapatos no chão?

Por onde anda os olhares altivos e nariz empinados que cruzavam as ruas sem dá bom dia a ninguém?

E aqueles que andavam em seus carrões de vidro escuro, abastecido com requisições para percorrerem as ruas e avenidas desfilando e ostentando que cada dia se construía uma nova história?

Onde estão os assessores arrogantes que olhava para as pessoas, e na verdade se sentia a ultima cereja do bolo?

Onde estão os filhos com seus carrões luxuosos que desfilavam com o som alto tocando suas musicas preferidas e fazendo rodadas de cervejas no trevo na fazenda ou na rotatória?

Onde anda os puxa saco que ofendia e humilhava todos que omitiam opinião contraria aos seus interesses?

Há, sumiram! Secou a fonte que alimentava, e a gordura  não tem mais sabor!

Bom, tudo que sabemos é, que tudo isso caiu por terra, muitos de cabeças baixas procurando algo no chão que não perdeu, começou agora o queima, queima, e o bota fora, até o final do ano, muitas águas passarão por debaixo dessa ponte sem que ninguém faça nada! Porém a justiça pode até ser cega, mais o povo tudo ver! 

A POLITICA PASSA MAIS AS BOAS AMIZADES PERMANECEM!

segunda-feira, 7 de dezembro de 2020

BANQUETE

" Porque eu vos digo que nenhum daqueles homens que foram convidados provará a minha ceia. "

Ser convidado para uma festa é motivo de alegria, primeiro pela festa em si, e depois porque o convidado é alguém especial - por isso recebeu o convite. 
O texto que lemos hoje fala de um homem que deu uma grande festa e convidou muitas pessoas que também eram especiais para ele.
Nos tempos bíblicos, os convidados confirmavam sua presença antes da festa, mais ou menos como que temos hoje nas festas de casamento. Quando tudo estava pronto, o dono da festa mandava seu servo avisar que tudo já estava na mesa, preparado para receber os convidados.  Mas quando se esperava que os convidados viessem para o banquete, a história toma um rumo diferente.  Todos começam a inventar desculpas para não comparecerem.  E não eram apenas desculpas esfarrapadas, eram mentiras grosseiras.
A primeira desculpa vem de homem que comprou um campo e precisa ir vê-lo.  
Isso é mentira, pois ninguém faz esse tipo de negócio sem olhar a propriedade primeiro.
A segunda desculpa tem o mesmo teor, um homem que comprou dez bois e precisa experimentá-los.  Os bois nesse caso serviam para arar a terra. Experimenta-se primeiro, faz-se o negócio depois, ainda mais em se tratando de dez bois: era muito dinheiro envolvido! Assim como ninguém compra um carro usado sem antes fazer uma análise.
A terceira desculpa também é mentira, pois o homem havia se casado - não estava doente.  A lei dizia que o recém-casado estava desobrigado do serviço militar, e não era esse o caso. 
Assim como nessa parábola, hoje acontece a mesma coisa : Deus convida os homens para um grande banquete, mas muitos inventam desculpas para não participarem.
Qualquer desculpa que você esteja dando para Deus não é apenas desculpa, mas mentira, assim como na parábola.
Deus ama você e por isso o convida para a vida eterna, uma vida especial e alegre, uma vida de paz e perdão.
Qualquer recusa será um insulto.

As desculpas não tem desculpa.
Aceite hoje o convite da graça.

Blog Orai Sem Cessar

Tenhamos paciência para as dificuldades, tolerância para as diferenças, benevolência para os equívocos, misericórdias para os erros, perdão para as ofensas, equilíbrios para os desejos, sensatez para as escolhas, delicadezas para as palavras, coragem para as provas, fé para as conquistas e amor para todas as ocasiões.

sábado, 5 de dezembro de 2020

Quando os justos governam, alegra-se o povo; mas quando o ímpio domina, o povo geme.

 Provérbios 29 

1 Aquele que, sendo muitas vezes repreendido, endurece a cerviz, será quebrantado de repente sem que haja cura.

2 Quando os justos governam, alegra-se o povo; mas quando o ímpio domina, o povo geme.

3 O que ama a sabedoria alegra a seu pai; mas o companheiro de prostitutas desperdiça a sua riqueza.

4 O rei pela justiça estabelece a terra; mas o que exige presentes a transtorna.

5 O homem que lisonjeia a seu próximo arma-lhe uma rede aos passos.

6 Na transgressão do homem mau há laço; mas o justo canta e se regozija.

7 O justo toma conhecimento da causa dos pobres; mas o ímpio não tem entendimento para a conhecer.

8 Os escarnecedores abrasam a cidade; mas os sábios desviam a ira.

9 O sábio que pleiteia com o insensato, quer este se agaste quer se ria, não terá descanso.

10 Os homens sanguinários odeiam o íntegro; mas os retos procuram o seu bem.

11 O tolo derrama toda a sua ira; mas o sábio a reprime e aplaca.

12 O governador que dá atenção às palavras mentirosas achará que todos os seus servos são ímpios.

13 O pobre e o opressor se encontram; o Senhor alumia os olhos de ambos.

14 Se o rei julgar os pobres com eqüidade, o seu trono será estabelecido para sempre.

15 A vara e a repreensão dão sabedoria; mas a criança entregue a si mesma envergonha a sua mãe.

16 Quando os ímpios se multiplicam, multiplicam-se as transgressões; mas os justos verão a queda deles.

17 Corrige a teu filho, e ele te dará descanso; sim, deleitará o teu coração.

18 Onde não há profecia, o povo se corrompe; mas o que guarda a lei esse é bem-aventurado.

19 O servo não se emendará com palavras; porque, ainda que entenda, não atenderá.

20 Vês um homem precipitado nas suas palavras? Maior esperança há para o tolo do que para ele.

21 Aquele que cria delicadamente o seu servo desde a meninice, no fim tê-lo-á por herdeiro.

22 O homem iracundo levanta contendas, e o furioso multiplica as transgressões.

23 A soberba do homem o abaterá; mas o humilde de espírito obterá honra.

24 O que é sócio do ladrão odeia a sua própria alma; sendo ajuramentado, nada denuncia.

25 O receio do homem lhe arma laços; mas o que confia no Senhor está seguro.

26 Muitos buscam o favor do príncipe; mas é do Senhor que o homem recebe a justiça.

27 O ímpio é abominação para os justos; e o que é reto no seu caminho é abominação para o ímpio.