quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Caso Teles Pires POVO MUNDURUKU

Policia Federal abre fogo contra guerreiros Munduruku

A aldeia Teles Pires foi alvo de uma operação da Policia Federal denominada Eldorado, deflagrada na manhã do dia 7 (Quarta) naquela região. O objetivo da operação é paralisar a garimpagem no rio Teles Pires. 
De acordo com informações do indígena Sandro Waro Munduruku, os agentes da PF invadiram a aldeia com um forte aparato, que contava com helicópteros, várias voadeiras e armamentos pesados, sitiando a aldeia.
Com base em um relatório enviado via rádio para a casa de apoio da aldeia Teles Pires, Sandro Waro líder indígena de Teles Pires, disse que os agentes da PF ao chegarem ao porto da comunidade indígena, abriram fogo com balas de borracha no grupo de guerreiros que foram recepcioná-los. Enquanto isso os helicópteros faziam vôos rasantes afugentando velhos, mulheres e crianças. “De acordo com o relatório seis parentes indígenas foram feridos com balas reais. E o mais grave foi a morte Adenilson Kirixi Munduruku.
Ele foi morto a tiro por um agente da Policia Federa. O policial acertou vários tiros no peito do indígena, mesmo ele sem defesa, atirou até dentro da água”, informa Sandro Waro, acrescentando que o corpo de Adenilson Munduruku desapareceu nas águas do Teles Pires.
Ainda de acordo com o relato, os agentes federais lançaram bombas de efeito moral no meio da aldeia. “Foi um ato covarde e desumano. Os federais espancaram os velhos, chamaram nossas mulheres de prostitutas, invadiram as casas, arrombando as portas e quebrando televisão”, disse Sandro Waro.
Baseado no relatório, Sandro Waro disse que a invasão na aldeia provocou confusão entre os índios que não sabiam da operação e nunca tinham visto tanto aparato de guerra. “Com os helicópteros da PF jogando às proximidades da aldeia bombas provavelmente de efeito moral e muitos tiros, ocasionou pânico entre os parentes indígenas, com muitos velhos desfalecendo na correria ou em fuga, e ainda crianças desesperadas desapareceram no mato diante de tamanha violência”, lamenta Waro. 
Walmar Kabá, líder indígena disse que os parentes informaram que na aldeia os agentes destruíram equipamentos como maquinários da comunidade entre esses motores de popa que serve unicamente para transporte dos indígenas, voadeiras, rádios, e para espanto geral a pista de pouso foram dinamitada impedindo o uso para retiradas de emergências e enfermos. “É lamentável o que aconteceu na aldeia Teles Pires, o nosso povo nunca tinha passado por tamanha violência. O saldo disso tudo é um parente baleado e desaparecido e muita gente ferida”, contabiliza Walmar Kabá. 
Amanhã estará seguindo para Aldeia Teles Pires uma comissão de vereadores e lideranças indígenas para verificar in loco a real situação da comunidade de Teles Pires, uma vez que de acordo com informações passadas via rádio os agentes federais desocuparam na tarde de hoje a aldeia.

COMUNIDADE INDÍGENA TELES PIRES
Texto Nonato Silva.

A onde sabemos, é que está tendo muita especulação sobre os fatos e que constantes informações chegam a nossa cidade de forma distorcida, não quero aqui invalidar as informações prestadas pelos indígenas, mas, fica muito  difícil acreditar se realmente existiu tudo isso, porém não descarto a possibilidade de que realmente algo de grave aconteceu!

Um comentário:

  1. ¡ Hola! Sólo quería seguir arriba en un correo electrónico envié un par de días atrás. El correo electrónico original a continuación: he estado trabajando durante un tiempo en Storylane, un producto que yo creo que el dueño de un blog como usted apreciará. Storylane funciona como una plataforma de blogging pero es social desde el suelo hacia arriba. Su contenido puede ser categorizado por usted y luego descubierto por nuestra comunidad de crecimiento rápido. Storylane puede insuflar nueva vida al contenido creado para tu blog viejo y esperemos que le conectan con personas, lugares e ideas que pueden agregar valor y significado a su vida. ¿Le gustaría darnos una oportunidad? Únete a nosotros aquí y añadir una historia o dos (no dude en utilizar historias que ya están en tu blog), Jonathan Gheller CEO Storylane

    ResponderExcluir

Seja prudente em seus comentários, agradeço sua visita.