sábado, 14 de junho de 2014

O BRASIL QUE NÃO GOSTAMOS

A torcida organizada anti-Dilma
Do site Vermelho: via Altamiro Borges

O que aconteceu de realmente importante nesta quinta-feira (12), além, é claro, da vitória de 3 a 1 da seleção brasileira contra a Croácia? Segundo os jornais da grande imprensa, o fato de um grupo de torcedores ter xingado a presidenta Dilma no estádio da abertura da Copa do Mundo em São Paulo, foi muito relevante e é destaque dos principais jornais impressos do Brasil, inflando assim, a torcida anti-Dilma no Brasil.
É evidente que muitos, mas não a maioria, ainda torcem pelo fracasso da Copa do Mundo no Brasil. E a grande imprensa tem demostrado que faz parte dessa torcida derrotista. Mesmo não ocorrendo grandes problemas na abertura da Copa que pudessem, sim, apagar o brilho da vitória da seleção brasileira, a grande imprensa tratou de chamar o ato de xingamento à presidenta como algo fenomenal.
Sem problemas
O Estádio do Corinthians, que despertava grande temor, passou bem pelo teste de fogo. Além disso, não houve problemas de deslocamento e os torcedores chegaram e saíram com facilidade, utilizando o transporte público. Para completar, não houve a temida greve dos metroviários e os protestos foram realizados por grupos minoritários, de apenas dezenas de pessoas. Em resumo, uma grande festa, onde a esperança venceu o medo de um eventual fracasso.
No entanto, o que mais foi destacado pelos jornais, na manhã seguinte, ou pelos telejornais desta sexta-feira (13) foi a “vaia” da ala Vip do estádio e, em alguns momentos, foi dirigida à presidenta Dilma, num grosseiro xingamento. E o que significou isso, para além da expressão da falta de educação e o comportamento de "manada" típico dos estádios de futebol, quando um pequeno grupo começa a gritar palavras de ordem, que rapidamente se alastram. 
O xingamento, em si, foi um evento banal. A cobertura dos jornais e telejornais, nem tanto. Significa que Folha, Estado de S. Paulo e Globo, cujos colunistas falavam em "Copa do Medo" e "chuteiras sem pátria", fazem parte da torcida organizada anti-Dilma. E os torcedores que ali gritavam, gritavam por eles. Os Frias, os Mesquita e os Marinho.
Foi um ato de covardia de um grupo de torcedores. É esse tipo de gente que desrespeita uma autoridade, uma senhora ao lado de sua filha, e principalmente com o seu povo que vem sendo o mais beneficiado com os projetos sociais no Brasil nos últimos anos.
Resposta
A presidenta Dilma Rousseff comentou nesta sexta-feira (13) sobre as hostilidades que sofreu. Ela afirmou que não se deixará abater por esse tipo de agressão. “Não vou me deixar aterrorizar por ofensas verbais”. “Não vou me deixar aterrorizar por xingamentos que não podem ser ouvidos nem por crianças”, enfatizou Dilma. 
Alguns jornalistas e comentaristas registraram o fato, como foi o caso do jornalista Juca Kfouri, que ataca frequentemente o governo, classificou, porém, o episódio como “uma vergonha”, um ato deplorável por parte de uma elite branca que entrou no estádio com ingresso Vip. Segundo ele, 95% dos torcedores presentes acharam o ato muito ruim para a imagem do Brasil.
Foi um ato de covardia, vergonhoso, mas essa ação partiu de poucos e não merece essa relevância dada aos editores dos jornais. Com certeza, foi algo que o PIG de plantão encontrou para a campanha anti-Dilma no Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja prudente em seus comentários, agradeço sua visita.