quinta-feira, 12 de julho de 2012

O ESTADO RESPONDE

Governador garante construção de Unidade Pro Paz em Jacareacanga.

Gov. Simão Jatene com os índios Munduruku
O governador Simão Jatene e as lideranças indígenas munduruku selaram acordo que garante à comunidade mais segurança e educação, Simão Jatene anunciou que as obras da Unidade Pro Paz começam na próxima quarta-feira (18) e serão acompanhadas pelo titular da Segup
Com a presença do secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Luiz Fernandes Rocha, as obras da Unidade Integrada Pro Paz do município de Jacareacanga, no sudoeste paraense, começam na próxima quarta-feira (18). A data foi divulgada pelo governador Simão Jatene, na noite desta quarta (11), durante audiência com as lideranças indígenas da etnia, no Comando Geral da Polícia Militar.
Oito representantes indígenas participam da audiência, entre eles Waldelirio Manhuary, Valdenir Moris Boro e Gerso Manhuary, líderes da comissão munduruku. Luiz Fernandes, o comandante geral da PM, coronel Daniel Borges Mendes, e o representante em Jacareacanga da Fundação Nacional do Índio (Funai), Rainericy Quintino, também participaram da reunião.
A construção imediata de uma unidade da Polícia Civil na cidade e a intensificação das investigações sobre o assassinato do índio Lelo Akay Munduruku foram as principais reivindicações dos líderes munduruku. Ao invés de uma delegacia, o governo e os índios decidiram pela construção da Unidade Pro Paz, que além do efetivo civil e militar, também oferece à população ações nas áreas de educação e cidadania.
Na última semana, os índios fizeram uma manifestação em Jacareacanga, depredando o quartel local da PM. O secretario de Segurança e o comandante da PM foram ao município negociar com os indígenas e asseguraram a construção da unidade e o reforço policial na cidade. No encontro desta quarta, Jatene reiterou o apoio do governo do Estado às solicitações indígenas, que além da segurança, também englobou as áreas da educação e saúde.
Compromissos – “Normalmente quando acontece esse tipo de situação, os governos costumam enviar pessoas que não têm poder de decisão para o local, e isso não fizemos, justamente para mostrar, definitivamente, que vivemos um tempo em que queremos, em parceria, enfrentar e resolver o problema. Tivemos uma conversa, absolutamente franca, sobre o que é ou não possível. O que foi assumido de compromisso vai ser honrado”, frisou Simão Jatene.
Além da Unidade Pro Paz, Jatene também dialogou com as lideranças indígenas sobre a saúde e educação. “Eles fizeram relatos dessas áreas que não são compromissos do governo do Estado, mas não podemos ficar omissos diante disso. Algumas reivindicações, por exemplo, eram no sentido de eles não terem oportunidade de cursar o ensino superior. Já nos dispusermos a ver como podemos ajudar, inclusive criando um programa com bolsa para permitir que possam ter acesso à faculdade”, informou o governador.
O líder da comissão indígena, Waldelirio Munduruku, disse que os líderes voltam satisfeitos com as negociações. “Tomamos essa atitude para chamar a atenção das autoridades. Contamos ao comandante da PM e ao secretário de Segurança o que vinha acontecendo na cidade, em relação à segurança. Essa situação estava se alastrando a cada dia que passava. Estamos satisfeitos pelo governador ter ouvido nossas reivindicações e assumido compromissos”, afirmou.
O governo do Estado também já assegurou aos indígenas o reforço policial e o acompanhamento, junto à Justiça, do homicídio do índio Lelo Munduruku, em Jacareacanga. Após o episódio, um efetivo do Comando de Missões Especiais permaneceu na cidade para uma série de ações destinadas ao combate à criminalidade e à restauração da ordem, como a instalação de barreiras, incursões, fiscalizações em bares e locais de festas e combate ao tráfico de entorpecentes.
Texto: Amanda Engelke - Secom
Copiado do Blog Rastilho de Pólvora.
 Providencial comentário de um anônimo sobre a postagem pretérita denominada 
Foi necessário que houvesse uma revolta em Jacareacanga pra que o Governador soubesse onde fica esse esquecido município, aliás, as pousadas dedicadas ao lazer e à pesca esportiva ele já conhece bem... já na sede do município, não investiu um centavo em um ano e meio de governo... e agora vem querer pousar de bonzinho. TE ENXERGA GOVERNADOR o senhor tem nas mãos o sangue das pessoas que morreram em Jacareacanga, por causa do caos da segurança pública. 
Comentário extraído do RP

Um comentário:

  1. E agora governador? deveria ouvir mais a voz do povo, essa gente que critica também vota!

    ResponderExcluir

Seja prudente em seus comentários, agradeço sua visita.