quarta-feira, 9 de maio de 2012

NO GOVERNO DO PARÁ TEM RIO OU CACHOEIRA?

Jatene: milhões derramados na empresa ligada à organização criminosa de Carlinhos Cachoeira
O deputado estadual Edmilson Rodrigues, líder do PSOL na Assembléia Legislativa, vai encaminhar pedido ao senador Randolfe Rodrigues, do PSOL do Amapá, para que os contratos da Delta Construções com o Governo do Pará também sejam investigados pela CPMI de Carlinhos Cachoeira, o que poderá levar a que o governador Simão Jatene (PSDB) seja convidado a depor no Congresso Nacional.
Edmilson disse que encaminhará o pedido a Randolfe e, também, ao líder do PSOL na Câmara dos Deputados, deputado federal Chico Alencar, possivelmente na próxima terça-feira. Ainda na terça, Edmilson pretende se pronunciar na Assembléia Legislativa sobre a solicitação.
Na semana que vem, ele também deverá procurar o PT e outros partidos, para buscar adesões à iniciativa.
Edmilson informou que o pedido ainda terá de ser submetido por Randolfe Rodrigues aos demais integrantes da CMPI, mas não tem dúvidas de que será aprovado.
“Por que o Pará ficaria de fora se há contratos da Delta no estado e a Delta é, comprovadamente, uma empresa real, mas que realiza a lavagem de dinheiro criminoso?”, perguntou.
Na semana passada, Edmilson já se pronunciou sobre o caso na tribuna da Assembléia Legislativa, tendo por base as várias reportagens publicadas pela Perereca da Vizinha desde o final do ano passado.
Ele cobrou explicações ao Governo, já que uma das críticas à ex-governadora Ana Júlia Carepa era, justamente, a locação de viaturas da Delta à Polícia Militar, o que, no entanto, acabou mantido pelo governador Simão Jatene. Na Assembléia, ele considerou insuficientes as explicações dos parlamentares tucanos.
“O contrato anterior com a Delta, firmado na gestão da Ana Júlia, foi muito combatido. Mas, contraditoriamente, aquele contrato continuou a ser pago junto com o novo”, observou.
E, na opinião do deputado, a existência de dois contratos paralelos com a mesmíssima finalidade (a locação de viaturas à PM) levanta suspeitas acerca da finalidade da transação.
“Isso (a existência de dois contratos paralelos) é muito sério e quebra de vez o discurso de que o objetivo era uma ação proba, para resolver um superfaturamento que, em tese, haveria no contrato firmado no governo da Ana. Não resolveu nada e só aprofundou”, disse.
Edmilson, que teve acesso à documentação que vazou na internet acerca da Operação Monte Carlo, que resultou na prisão do contraventor Carlinhos Cachoeira, também estranhou o fato de a Delta vencer o Pregão da Segup, “eliminando empresas paraenses”, e, meses depois, ter o contrato aditivado em R$ 3,5 milhões, o que turbinou ainda mais uma contratação já bastante elevada.
Por tudo isso, e embora considere difícil obter as assinaturas necessárias, não descarta a possibilidade de tentar, também, a instalação de uma CPI pela Assembléia Legislativa.
No entanto, a prioridade agora será a inclusão do Pará na CPMI já instalada pelo Congresso Nacional para investigar as relações do contraventor Carlinhos Cachoeira com políticos, agentes públicos e empresas, aí incluída a Delta Construções.
Ao longo de uma série de reportagens, A Perereca da Vizinha vem mostrando que o novo contrato da Delta com a Polícia Militar do Estado é muito maior que o firmado na administração petista.
O contrato anterior era de R$ 20 milhões para dois anos, ou R$ 10 milhões por ano.
Já o novo contrato da Delta com a PM tinha um valor inicial de R$ 14 milhões para apenas um ano.
Mas um aditivo de preço de R$ 3,5 milhões acabou por elevá-lo para mais de R$ 17,6 milhões.
Quer dizer: o novo contrato poderá ficar 70% mais caro que o anterior.
Outro o problema é o valor do aluguel desses veículos, o que, na ponta do lápis, deve sair mais caro do que a compra.
Além disso, o Governo Jatene continuou a pagar o contrato anterior, firmado na gestão petista, ao mesmo tempo em que também pagava o novo contrato, o que aconteceu, pelo menos, até março deste ano.
Em documentos vazados na internet sobre a Operação Monte Carlo, a Polícia Federal aponta fortes indícios de que a Delta Construções era usada para a lavagem do dinheiro da organização criminosa de Carlinhos Cachoeira.
A Perereca volta já com nova reportagem sobre o assunto.
Leia as matérias já publicadas pelo blog sobre os contratos da Delta Construções com o Governo do Pará:
PM turbina contrato da Delta em R$ 3,5 milhões
Jatene derrama dinheiro na Delta Construções
Pregão da Segup vira caso de polícia
Cidadão denuncia e MP investigará contratos
Segup garante que o Governo economizou com o novo contrato
Indícios de fraude no Pregão da Segup
Aluguel de viaturas consumirá R$ 56 milhões a mais do que a compra
Carros antigos da Delta continuam a circular
 Texto copiado na integragra/Fonte Blog da Perereca da Vizinha

7 comentários:

  1. Não diziam eles que só o governo de Ana Júlia que fazia isso? E que else iriam moralizar a instituição publica dando uma mova roupagem? Só sei que o Pará está é numa cinuca sem caçapa com esse governo. Chupa essa manga povo paraense. SANSÃO/Belém

    ResponderExcluir
  2. Não diziam eles que só o governo de Ana Júlia que fazia isso? E que else iriam moralizar a instituição publica dando uma mova roupagem? Só sei que o Pará está é numa cinuca sem caçapa com esse governo. Chupa essa manga povo paraense. SANSÃO/Belém

    ResponderExcluir
  3. CADA ESTADO TEM O GOVERNO QUE MERESSE! É UMA PENA QUE O PARÁ TENHA QUE VIVER TUDO ISSO...

    ResponderExcluir
  4. Faro fino, você deveria era postar matérias das obras do nosso governador e não essas mentiras, o jatene não fez nada disso, isso é invenção da oposição que estão com inveja do meu governador. Eu não recomendo esse blog aos meus amigos...

    ResponderExcluir
  5. Resposta ao internauta anônimo.
    O DIREITO DE EXPRESSÃO
    EMBASAMENTO LEGAL NA CARTA MAGNA DA NAÇÃO BRASILEIRA
    Capítulo V - Da Comunicação Social
    Art. 220. A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo, não
    sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta
    Constituição.
    § 1º Nenhuma lei conterá dispositivo que possa constituir
    embaraço à plena liberdade de informação jornalística em qualquer
    veículo de comunicação social, observado o disposto no art. 5º, IV,V, X, XIII e XIV.
    § 2º É vedada toda e qualquer censura de natureza política,
    Ideológica e artística.

    ResponderExcluir
  6. QUEM FOI AO PARÁ PAROU, VOTOU NO JATENE ERROU. KKKK

    ResponderExcluir
  7. O estado do Pará só será idependente quando essa velharada da politica viciada sair de cena e der lugar para sangue novo. Alfredo

    ResponderExcluir

Seja prudente em seus comentários, agradeço sua visita.