terça-feira, 5 de novembro de 2013

Outubro Rosa: Semsa/Jacareacanga na guerra contra o câncer


Cumprindo o encerramento do movimento internacional Outubro Rosa, a Secretaria Municipal de Saúde através do setor de Vigilância em Saúde coordenou na tarde de quinta-feira (31), uma passeata nas ruas de Jacareacanga que contou com a presença de um grande número de mulheres, servidoras públicas municipais, crianças, jovens e idosos. A manifestação chamou a atenção de populares e neste ano com a adesão de homens que acompanhando suas esposas demonstraram total apoio ao movimento.

A história do Outubro Rosa remonta à última década do século 20, quando o laço cor-de-rosa, foi lançado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure e distribuído aos participantes da primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York, em 1990 e, desde então, promovida anualmente na cidade (www.komen.org). O movimento tomou força em todo mundo. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades.

Em 1997, entidades das cidades de Yuba e Lodi nos Estados Unidos, começaram efetivamente a comemorar e fomentar ações voltadas à prevenção do câncer de mama, denominando como Outubro Rosa. Todas as ações eram e são até hoje direcionadas a conscientização da prevenção pelo diagnóstico precoce. Para sensibilizar a população inicialmente as cidades se enfeitavam com os laços rosa, principalmente nos locais públicos, depois surgiram outras ações como corridas, desfile de modas com sobreviventes de câncer de mama, partidas de boliche e etc. (www.pink-october.org).A primeira iniciativa vista no Brasil em relação ao Outubro Rosa, foi a iluminação em rosa do monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista (mais conhecido como o Obelisco do Ibirapuera), situado em São Paulo-SP. No dia 02 de outubro de 2002 quando foram comemorados os 70 anos do encerramento da Revolução, o monumento ficou iluminado de rosa por alguns dias. 
Essa iniciativa foi de um grupo de mulheres simpatizantes com a causa do câncer de mama, que com o apoio de uma conceituada empresa europeia de cosméticos iluminaram de rosa o Obelisco do Ibirapuera em alusão ao Outubro Rosa. O movimento que dura o mês inteiro busca alertar sobre os riscos e a necessidade de diagnóstico precoce deste tipo de câncer, que é o segundo mais recorrente no mundo, perdendo apenas para o de pele. O câncer de mama é o tipo de tumor maligno mais comum entre as mulheres e também o que mais leva à morte. O de colo de útero é o segundo.

Os dados mais recentes do Instituto Nacional do Câncer (Inca) mostram que 12.705 pacientes perderam a vida por causa da doença, em 2010. A estimativa é de que 52 mil casos sejam diagnosticados em 2012, em todo o país (http://www.inca.gov.br/estimativa/2012/).

Estima-se que os novos casos da doença aumentem no mundo em 50% até 2020.  No Brasil, segundo o Inca a situação pode ser considerada mais grave, pois enquanto nos outros países um paciente tem sobrevida de 12 a 16 anos, aqui este tempo é reduzido para entre 2 a 4 anos. Já no caso dos homens, são esperados 60.180 novos casos de câncer de próstata no Brasil em 2012, segundo o Inca. A taxa de incidência cresceu cerca de 25 vezes desde 2008 e até 2015, a expectativa é que a taxa aumente cerca de 60%. Em média, 62% dos casos ocorrem em homens com 65 anos ou mais. A ingestão de frutas vermelhas, uva e outros alimentos com licopeno é uma forma de evitar a doença.

Segundo dados da secretaria Municipal de Saúde, em Jacareacanga entre 2011 e 2012 foram realizados 211 exames de preventivo ginecológico. Os dados mostram que foram detectados 16 casos com alteração no resultado, entre eles, HPV (câncer de colo de útero) e lesões intraepiteliais nos graus I a III. Seis casos estão sob controle e tratamento.

Conheça algumas dicas que podem alertar para o início da doença. Ao aparecimento de alguns destes sintomas, procure logo o Serviço de Saúde. Lembre-se quanto mais rápido for detectado o câncer, maiores são as chances de cura.

ü  Mudanças dos hábitos intestinais e urinários;

ü  Ferimentos que não se cicatrizam;

ü Aparecimento ou alterações em verrugas, manchas ou sinais na pele;

ü  Surgimento de caroços;

ü  Má digestão contínua ou dificuldade de engolir;

ü  Sangramentos ou secreções; e

ü  Tosse ou rouquidão por muitos dias.

Texto e Fotos Nonato Silva. Com informações: www.inca.gov.br,  www.outubrorosa.org.br e SEMSA/Jcr.

Um comentário:

  1. Parabéns Jacareacanga pela coragem e demonstração de respeito......

    ResponderExcluir

Seja prudente em seus comentários, agradeço sua visita.