sábado, 23 de novembro de 2013

Descoberto buraco negro que lança ferro e níquel a 700 milhões de km/h



Cientistas localizaram um buraco negro que bombeia e libera para o Universo intensos jatos de ferro e níquel.
Geralmente, os buracos negros costumam jogar jatos de partículas de baixa massa há milhares de anos-luz de comprimento em galáxias vizinhas.
No entanto, este denominado 4U1630 -47, encontrado por meio do telescópio espacial XMM-Newton da Agência Espacial Europeia, é um intrigante buraco negro que bombeia átomos mais pesados, que segundo estimativas, se deslocam cerca de dois terços a mais em relação à velocidade da luz, isto é, a mais de 700 milhões de quilômetros por hora.
Como os cientistas já sabem, os buracos negros são sumidouros de matéria e energia. Eles são tão densos que nem mesmo a luz pode escapar de sua força. Aqueles que possuem massa estelar são geralmente encontrados alimentando-se do material de alguma estrela próxima.
Essa matéria flui da estrela em direção ao buraco negro e, circulando como um disco em torno dele, possui uma temperatura tão alta que é capaz de emitir raios-X. Além disso, pode acontecer do buraco negro não engolir todo o material, e às vezes empurrar uma parte desse conteúdo em forma de poderosos jatos de partículas. Esses jatos, por sua vez, liberam massa e energia para o ambiente. Os cientistas já conheciam bem este fenômeno, mas ainda não conseguem explicar onde exatamente se formam estes jatos, e qual é o mecanismo responsável por isso.
A descoberta deste novo buraco negro poderá ajudar os cientistas a encontrar uma resposta.

A partir de uma última observação, o radiotelescópio Campact Array, localizado ao leste da Austrália, confirmou os resultados obtidos. 
O Dr. Tasso Tzioumis, membro da equipe de pesquisa, afirma: “Jatos de buracos negros supermassivos ajudam a determinar o destino de uma galáxia, como ele evolui. Átomos pesados já foram vistos em jatos de outro sistema, o SS433, mas ele é um sistema muito fora da comum, um excêntrico; já este descoberto é bastante típico, muito mais provável para representar buracos negros em geral”. Um átomo de ferro é cerca de cem mil vezes mais massivo que um elétron. Quando uma partícula massiva está se movendo, ela carrega mais energia do que uma partícula mais leve que se move com a mesma velocidade 
Esta recente descoberta sugere que os jatos produzidos pelo buraco negro são equipados com disco de acreção, isto é, um cinturão composto por um turbilhão de gases quentes que ficam ao redor do buraco negro, e não pela rotação do próprio buraco negro, o que seria mais provável quanto à ideia de se produzir jatos contendo apenas partículas de luz.
Norbert Schartel, da ESA, e também cientista do projeto, declara: “Mesmo que já saibamos muita coisa sobre buracos negros e o que acontece ao seu redor, a formação de jatos é ainda um grande quebra-cabeça, no qual faz desta observação um passo importante para a compreensão deste fenômeno fascinante”. r7.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja prudente em seus comentários, agradeço sua visita.