domingo, 18 de novembro de 2012

Bruno vai a júri com dez lacunas na investigação

Um crime de homicídio sem corpo. Essa é uma das principais polêmicas do julgamento do ex-goleiro do Flamengo Bruno Fernandes que começa amanhã, em Contagem (MG). Mas não a única.
Embora todas as evidências apontem para o assassinato de Eliza Samudio, como chegou a admitir a defesa do goleiro, a polícia de Minas Gerais não conseguiu localizar vestígios do cadáver, mesmo passados mais de dois anos de seu desaparecimento.
Além dessa certeza cabal, a investigação da polícia e da Promotoria deixou buracos que podem ser explorados pela defesa e influenciar o júri.
A Folha analisou mais de 5.300 documentos do processo, parte deles sigilosa, ouviu testemunhas, advogados, policiais e promotores.
ROGÉRIO PAGNAN DE SÃO PAULO PAULO PEIXOTO DE BELO HORIZONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja prudente em seus comentários, agradeço sua visita.