quarta-feira, 4 de abril de 2012

O fim da “imposição” dos símbolos do cristianismo no Brasil


Presença de símbolos cristãos em escolas públicas e tribunais é criticada
Fonte Cidadania Cristã/noticias.gospelprime.com.br
Durante a proclamação da República, em 1889, seus idealizadores acreditaram que conseguiriam separar a religião do Estado, com a sua nova constituição. O Brasil deixava o catolicismo da monarquia para trás e se tornava oficialmente laico.
Mas em 2012 setores da sociedade ainda debatem sobre a legalidade do que é chamado de “imposição” do cristianismo. Há ensino religioso em escolas públicas, crucifixos têm lugar de destaque em tribunais, alguns estudantes são obrigados a rezar antes da aula e as testemunhas precisam jurar sobre a Bíblia.
A presença desses símbolos de fé em ambientes públicos está mais uma vez no centro do debate. Existem entidades organizando manifestações públicas em favor do Estado laico em três capitais. Em Porto Alegre aconteceu em 22 de março, no Rio de Janeiro será dia 10 de abril e em São Paulo, no dia 14.
Para Salomão Ximenes, advogado da ONG Ação Educativa, não se está respeitando a determinação constitucional (artigo 210) de que o ensino religioso seja facultativo.
No Estado de São Paulo, por exemplo, a religião fica “diluída” em várias matérias, impedindo que o aluno decida se quer ou não assistir às aulas.

2 comentários:

  1. Meu filho já passou por esse constrangimento de chegar na sua escola e ser impedido de entrar antes de passar na sala santa para beijar as fitas nos pés da santa. Ele não aceitou, apesar de ser na época uma criança de 9 anos ele disse não! e ele foi mandado pra casa, quando eu soube o que aconteceu, fui até a escola e me falaram que isso é uma tradição da escola com todos os alunos, perguntei da diretora da escola se eles respeitavam outras religiões, ela disse com certeza! Eu disse então o que acabou de falar é a mais pura mentira, meu filho foi mandado pra casa e foi impedido de entrar na escola por se recusar a beijar os pés da santa e eu sou evangélico, sairei daqui e irei até a policia denunciar vocês por perseguição religiosa contra criança filhos de evangélicos. Rapidamente ela mudou o tom de voz e o discurso dizendo que a escola abriria mão desse ritual para meu filho. Fiz a denuncia na direção estadual de educação e alardiei na imprensa o abuso, e foi determinante mente proibido essa situação humilhante com as crianças,e nós evangélicos. SILVIA.

    ResponderExcluir
  2. Isso ainda acontece nos dias de hoje, escolas com direção católica fazem isso até hoje, não respeitam a livre escolha religiosa nesse país. A imposição deles é assim forçando a aceitarmos algo que não funciona. Isso é abuso, autoridades abrem seus olhos existem escolas na sua cidade realizando esse tipo de abuso contra o cidadão. Vivemos em um país laico e livre para cada um escolher a religião que queira seguir. Aurélio/Manaus-Am

    ResponderExcluir

Seja prudente em seus comentários, agradeço sua visita.