segunda-feira, 26 de março de 2012

Noticias do Amazonas

Apesar de ilegal, caça predatória do peixe-boi da Amazônia abastece feiras no Amazonas

Segundo biólogo da Associação Amigos do Peixe-boi (AMPA), a carne do peixe-boi é comercializada em Manaus e no interior sob encomenda por valores entre R$ 5 e R$ 20 o quilo. Espécie está vulnerável à extinção
Peixe-boi é um dos mamíferos aquáticos da Amazônia 

Apesar de protegido pela legislação brasileira desde 1967, o peixe-boi da Amazônia é uma das cinco espécies de mamíferos aquáticos da região que teve sua população reduzida por conta da caça predatória que, apesar de ilegal, vem abastecendo o ‘mercado negro’ da carne de boto, inclusive, nas feiras de Manaus.
O alerta foi feito pelo biólogo da Associação Amigos do Peixe-boi (AMPA), Diogo Souza. Segundo o especialista, o peixe-boi da Amazônia figura entre as espécies vulneráveis à extinção, segundo a International Union for Conservation of Nature(IUCN).
Mesmo assim, devido ao valor comercial e sabor da sua carne, o Peixe-boi da Amazônia ainda  é alvo da caça predatória. Nas feiras das cidades do interior e até na capital, a comercialização da iguaria se dá de forma esporádica, principalmente por encomenda, e o preço pode variar de R$ 5 a R$ 20 o quilo.
“Já ouvimos relatos da venda da carne do peixe-boi na feira do Coroado (Zona Leste de Manaus), por exemplo”, disse Souza. 
Defesa Civil mapeá áreas da Zona Rural de Manaus    atingidas pela cheia dos rios
A ação faz parte de um levantamento para identificar a demanda de vítimas que devam receber ajuda humanitária
A Defesa Civil do Município visitou, neste final de semana, cinco comunidades que podem ser atingidas pela cheia do Rio Amazonas, localizadas na Zona Rural de Manaus. A ação faz parte de um levantamento para identificar a demanda de vítimas que devam receber ajuda humanitária.
Nas comunidades, residem cerca de 250 famílias que podem ser afetadas pela enchente deste ano, já que as suas casas estão situadas em áreas de terra baixa (várzea) e geralmente são atingidas com a subida das águas.
"Durante os trabalhos visitamos as comunidades Nova Cesárea, Canaã, Nossa Senhora do Carcomo, Bom Sucesso e Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, todas na localidade do Paraná da Eva, no Rio Amazonas", informou o coordenador de Defesa Civil Municipal - coronel Ari Renato de Oliveira.
Níveis do rios
O nível do Rio Negro em Manaus é o maior registrado para o dia 23/03 em toda a série histórica, marcando 27 centímetros acima do valor registrado no dia 23/03/2009 - o ano da maior cheia no Amazonas.
Na bacia do Solimões, no município de Careiro, os níveis estão 25 centímetros acima dos registrados na mesma data em 2011. Já na bacia do Purus, em Boca do Acre/AM, os níveis d’água estão em declínio.
Na bacia do Amazonas, em Parintins, o nível está 3cm acima do registrado na mesma data do ano da maior cheia da estação.
Os dados são do boletim do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) divulgado nesta segunda-feira (26).
Afetados
O balanço da segunda fase de previsão "Impactos da cheia" elaborado com dados da Defesa Civil do Amazonas aponta que os municípios de Anamã, Anori, Autazes, Barreirinha, Boa Vista do Ramos, Borba, Caapiranga, Careiro, Careiro da Várzea, Coari, Codajás, Iranduba, Itacoatiara, Manacapuru, Manaquiri, Manaus, Maués, Nhamundá, Nova Olinda do Norte, Novo Airão, Novo Aripuanã, Parintins, Urucará e Urucurituba serão prejudicados. Em Parintins a previsão é de que 10.852 famílias sejam atingidas.
FF - No município de Itacoatiara, tudo indica que esse ano sofrerá a maior enchente de todos os tempos, comparado com a enchente de 2009, o nível do rio amazonas já superou em muito a marca da ultima enchente. Bairro do jauari, rua manaus  que fica próximo da orla da cidade.
Foto retirada por Eliakim Marques em 2009
Rua Aquilino Barros - Jauari/Foto retirada por Eliakim Marques em 2009 
Governo do AM apresenta Plano Estadual de Contingência para a Cheia 2012
O vice-governador, José Melo, recebeu os prefeitos e representantes para orientá-los sobre os procedimentos legais que deverão ser adotados para acessar a ajuda financeira em caso de emergência
O governo do Amazonas reuniu, nesta sexta-feira, 23 de março, prefeitos e representantes de 24 municípios do Estado, que deverão ser afetados pela enchente deste ano, para apresentar o Plano Estadual de Contingência para a Cheia 2012, elaborado pelo Subcomando de Ações de Defesa Civil (Subcomadec). A medida segue orientação do governador Omar Aziz de preparar as prefeituras para enfrentar a cheia deste ano.

O vice-governador, José Melo, recebeu os prefeitos e representantes para orientá-los sobre os procedimentos legais que deverão ser adotados para acessar a ajuda financeira em caso de emergência.  “As chuvas vão continuar e muitos municípios que ainda não estão em situação de emergência deverão entrar. Essa é uma ação preventiva. Antecipamos trazendo os prefeitos, com as suas defesas civis para explicitarmos todos os procedimentos, do ponto de vista legal, que eles precisam tomar para que o Estado e a União possam intervir para atender as famílias atingidas”, explicou Melo.

A previsão da Defesa Civil do Estado é que a cheia deverá atingir cerca de 286 mil pessoas, causando impactos nos municípios de Anamã, Anori, Autazes, Barreirinha, Boa Vista do Ramos, Borba, Caapiranga, Careiro, Careiro da Várzea, Coari, Codajás, Iranduba, Itacoatiara, Manacapuru, Manaquiri, Manaus, Maués, Nhamundá, Nova Olinda do Norte, Novo Airão, Novo Aripuanã, Parintins, Urucará e Urucurituba serão prejudicados. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja prudente em seus comentários, agradeço sua visita.